Notícias

Groomers: dicas para encantar os clientes e agregar valor aos serviços

Os groomers, profissionais de banho e tosa, não dependem apenas da técnica para atrair e manter a clientela. Como diz o instrutor e especialista Renato Leiva, é preciso ser um verdadeiro “artista” no quesito atendimento (aos pets e especialmente os donos) e também cuidar da própria imagem, afinal, o profissional responsável pela estética dos pets tem que passar credibilidade e ser uma referência para os clientes.

Confira abaixo algumas dicas voltadas aos groomers interessados em agregar valor aos seus serviços e encantar seu público.

Estude a concorrência e faça uma competição saudável

Engana-se quem acha que estudar a concorrência é apenas saber quanto a outra empresa cobra pelo serviço. Procure conhecer os pontos fortes e fracos dos concorrentes, para entender no que você precisa melhorar e o que pode oferecer como diferencial. “Não se limite a cobrar o mesmo que outros só para não perder clientes. Procure os clientes que estão dispostos a pagar mais mas não encontram mão de obra qualificada para isso”, diz Leiva.

Imagem, neste mercado, é fundamental

Além de cuidar da imagem como profissional, é preciso investir também em bons materiais de divulgação: panfletos, folders, redes sociais, comunicação por e-mail, propaganda em revistas, jornais ou TV… E faça questão de mostrar os serviços diferenciados, pontos fortes de sua empresa, destacando-a dos demais concorrentes.

Interação com os donos é fundamental

Muitas pessoas entram neste mercado porque preferem se relacionar mais com animais do que com pessoas. Mas é preciso desenvolver habilidades no trato com os proprietários, como destacam as groomers norte-americanas Kathy e Missi Salzberg, ao falar sobre alguns “segredos” da profissão: quem tem sucesso nesta área sabe captar com o cliente a melhor forma de fazer a tosa ou a maneira de cuidar dos bichinhos durante as sessões.

Esqueça a cultura do “compre o serviço x que te dou o y

Esta é uma dica importante que o especialista Renato Leiva dá aos empresários e gestores: ofereça o melhor serviço, busque diferenciais, mas não deixe de cobrar pela qualidade. “Seu serviço não é um favor, é um serviço em troca de dinheiro. Não deixe o cliente moldar o que você ou seu estabelecimento vai ser. Existe mercado para quem quer cobrar R$ 10, R$ 25 e R$ 50, você é que vai escolher em qual classe quer estar”, afirma.

MultiFair 2018. Todos os direitos reservados.